Pastoral da Juventude divulga nota criticando redução da maioridade penal

pjuventude

A Pastoral da Juventude, organização da Igreja Católica ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), divulgou nota em que critica as tentativas de redução da maioridade penal e pede aos deputados federais que também são contra a redução que encampem a luta que vem sendo desenvolvida em paralelo por inúmeras organizações governamentais e não-governamentais. “Às nossas crianças, adolescentes e jovens são negados, historicamente, direitos básicos de inclusão, participação, proteção, e que deem garantia de vida plena e digna. Não se corrige injustiças com mais injustiças!”, diz a nota.

Coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa das Políticas Públicas de Juventude, a deputada Luizianne Lins é contra a redução da maioridade penal e tem se manifestado sobre o assunto. “Diferentemente do que reduzir a maioridade penal, eu acho que esses jovens estão precisando de mais proteção do Estado”, defende a parlamentar.

Confira abaixo a íntegra da nota da Pastoral da Juventude. Mais informações em http://www.pj.org.br/

“Às deputadas e aos deputados da Câmara dos Deputados,

A Pastoral da Juventude (PJ), organização da Igreja Católica ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), possui mais de 40 anos de história e tem articulação nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, com mais de 10 mil grupos de jovens, coordenações locais, estaduais e nacional. Diante desse acúmulo histórico de inserção, defesa e promoção da vida da juventude, a PJ vem por meio desta nota (em anexo), manifestar seu REPÚDIO a todas tentativas de redução da maioridade penal.

Exigimos uma análise crítica dessa questão que é tão delicada. Às nossas crianças, adolescentes e jovens são negados, historicamente, direitos básicos de inclusão, participação, proteção, e que deem garantia de vida plena e digna. Não se corrige injustiças com mais injustiças!

Pedimos que, aos e às que tem posição contrária à redução, que se manifestem publicamente e se somem às organizações governamentais e não-governamentais que estão em árdua campanha contra a redução; e aos e às parlamentares quem tem posição favorável, pedimos que analisem os fatos olhando pelo outro lado também, e revejam criteriosamente suas posições”.

Comente e participe!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s