Luizianne reforça campanha Fora Bolsonaro

A deputada federal Luizianne Lins (PT/CE) reforçou o movimento Fora Bolsonaro nessa sexta (10/7), liderado por movimentos sociais,  oposição e organizações da sociedade civil. A mobilização foi feita pelas redes sociais durante todo o dia.
No site campanhaforabolsonaro.org.br, há a coleta de assinaturas em apoio ao impeachment do presidente da República.

Luizianne tem sido uma voz ativa no Plenário da Câmara contra as irresponsabilidades e maldades do governo brasileiro, que tem vetado projetos de interesse da classe trabalhadora e subestimado a pandemia da Covid-19, levando o Brasil a marca de 70 mil mortes.

Luizianne é aclamada como pré-candidata do PT à Prefeitura de Fortaleza

A deputada federal e ex-prefeita Luizianne Lins foi aclamada durante o Encontro Municipal do PT, no último dia 05/07, como pré-candidata pelo partido à Prefeitura de Fortaleza. Participaram 46 delegados do PT. O nome de Luizianne foi aprovado por unanimidade, com apenas duas abstenções.

A presidenta do PT nacional, Gleisi Hoffmann, e o ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, participaram do evento virtual e declararam seu apoio por meio de vídeos. Luizianne contou ainda com o envio de mensagens de apoio de 50 dos/das 53 deputados/as federais do  PT na Câmara. Seus companheiros de parlamento, deputados federais pelo Ceará José Guimarães e José Airton Cirilo também participaram do encontro e manifestaram apoio emocionado à pré-candidatura.

Luizianne agradeceu calorosamente e muito emocionada todo o apoio recebido e destacou que sua candidatura pelo PT tem a missão de criar uma grande frente antibolsonarista para ser exemplo no Brasil inteiro. “Estou preparada para enfrentar agora o momento político que nossa cidade e nosso país tanto precisam. A nossa cidade deixou de ser uma cidade feliz. Os laços sociais foram quebrados”, afirmou.

Luizianne repudia decisão da Prefeitura de Fortaleza de destruir área protegida da Sabiaguaba

A deputada federal Luizianne Lins repudiou nesta sexta-feira, 10/07, em suas redes sociais a intenção da Prefeitura de Fortaleza de destruir as dunas da Sabiaguaba, na capital cearense. Ela repercutiu o movimento de ativistas ambientais reunidos no grupo Fortaleza pelas Dunas denunciando a decisão do Conselho Gestor da Sabiaguaba, coordenado pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), de aprovar projeto de loteamento de área superior a 50 hectares na Área de Proteção Ambiental (APA), aprova por sua gestão quando era prefeita de Fortaleza.

“A atual gestão da Prefeitura de Fortaleza quer destruir uma área  equivalente a 50 campos de futebol. Total absurdo. Em nossa gestão, aprovamos a área como APA, ao contrário desse governo destruidor do meio ambiente. Resistiremos”, assinala a deputada.

Luizianne repercute decisão do Facebook de tirar do ar rede de fake news ligada à família Bolsonaro

Luizianne Lins (PT/CE) repercutiu no Plenário Virtual da Câmara, na quinta (9/7), a decisão do Facebook de remover a rede de contas falsas relacionada ao PSL e a gabinetes da família Bolsonaro. Foram removidas 35 contas do FB e 38 do Instagram. Dentre essas contas, foram removidos os perfis de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). “Se confirma o que a gente já sabia: a existência de uma rede de mentiras, de uma máquina de produção de falseamento da verdade”, disse Luizianne.

“Bolsonaro se expôs ao coronavírus e agora faz propaganda de medicamento sem base científica”, afirma Luizianne

A deputada Luizianne Lins (PT-CE) afirmou durante pronunciamento na sessão remota da Câmara, no último dia 08/07 que Jair Bolsonaro contraiu a Covid-19 porque quis. Segundo a parlamentar, isso ficou evidenciado em várias aparições públicas nas quais Bolsonaro ignorou as recomendações de autoridades de saúde para a prevenção da doença. A deputada também lamentou que, mesmo após ser infectado, Bolsonaro continue a desprezar orientações médicas, como no caso do recente vídeo onde ele indica o uso e ainda toma um comprimido de hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia científica comprovada.

“Como militante de direitos humanos, quero dizer que toda vida importa e não vou desejar mal ao presidente da República, mas ele quis isso. Ele se expunha todos os dias, ele e mais o seu entorno todinho, assessores, dando mau exemplo para a população brasileira, andando sem máscara. Ele estava provocando isso”, afirmou Luizianne.

A parlamentar disse ainda que se preocupa com a possiblidade de o presidente se utilizar da doença para tentar comprovar teorias fantasiosas já difundidas por ele, ainda que não tenham respaldo da medicina e nem comprovação da ciência.

Gripezinha

“Eu não sei se a doença veio para ele dizer que ela é uma ‘gripezinha’ e que ele passou por ela tranquilamente. Foi uma cena ridícula e chocante ver um presidente fazendo todas as honras para tomar um comprimido de hidroxicloroquina, como se estivesse tomando um comprimido de Sonrisal, de Dorflex, um remédio qualquer”, lamentou a petista.

Ainda sobre este fato, a deputada Luizianne Lins acusou o presidente de fazer propaganda do medicamento para ajudar a desovar o estoque de hidroxicloroquina produzido pelo laboratório do Exército, por ordem do próprio Bolsonaro. “Ele fez o Exército produzir hidroxicloroquina, e não sabe o que fazer com ela. Ele quis ser médico”, acusou.

Segundo informações do próprio Ministério da Defesa, o estoque de hidroxicloroquina nos laboratórios do Exército chegam a 1,8 milhão de comprimidos. O número é 18 vezes a produção anual do medicamento nos anos anteriores. Sem eficácia científica comprovada para a Covid-19, a hidroxicloroquina é indicada para o tratamento da malária.

O Ministério Público que atua junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), já investiga o valor gasto para ampliar a produção do medicamento. O subprocurador-geral do Ministério Público junto ao TCU, Lucas Furtado, pediu que o presidente Jair Bolsonaro seja responsabilizado pela determinação de aumentar – sem justificativa sanitária ou científica – a produção do medicamento. A deputada Luizianne Lins disse ainda que o mau exemplo de Bolsonaro ao tomar a cloroquina pode causar sérios problemas de saúde, inclusive a morte, para pessoas que vierem a imitá-lo.

“Ele (Bolsonaro) não sabe que esse medicamento tem que ser utilizado com outros medicamentos. A hidroxicloroquina tem que ser utilizada — segundo inclusive o Dr.Kalil do Sírio-Libanês — com anticoagulante, com corticoide, e — outra coisa — se a pessoa tiver condições de aceitar a hidroxicloroquina, porque ela dá arritmia. Quantas pessoas já morreram de arritmia cardíaca em função da utilização indevida de medicamento?”, questionou a petista.

Segundo notícias da imprensa, depois que começou a tomar comprimidos de hidroxicloroquina o presidente Jair Bolsonaro passou a realizar dois eletrocardiogramas por dia, para monitorar os batimentos cardíacos.

Héber Carvalho/ PT na Câmara