Luizianne Lins afirma: Ciro Gomes “nunca foi de esquerda, quem mora no Ceará sabe disso”

Reprodução/YouTube/Fórum Café
Revista Fórum
 
A deputada federal Luizianne Lins (PT-CE), pré-candidata à Prefeitura de Fortaleza pelo PT, fez duras críticas ao ex-ministro Ciro Gomes durante entrevista no programa Fórum Café, comandado por Plínio Teodoro e Cristina Coghi, na segunda-feira (10). Para ela, o ex-governador do Ceará “nunca foi de esquerda” e não trabalha em prol do coletivo.

As críticas a Ciro surgiram quando a ex-prefeita de Fortaleza comentava sobre a relação com o governador Camilo Santana (PT). “Minha relação pessoal com o Camilo é boa, mas a questão é que ele é mal acompanhado. Ele lá é acompanhado pelos Gomes e um tempo atrás eu rompi com eles. Não tem condição de você ter um aliança com aquele grau de grosseria. Principalmente quanto à forma que ele passou a tratar o Lula e o PT nesse último período”, afirmou. “Os Gomes não têm respeito por ninguém não. Eles não mandaram os petistas pra PQP? Outro dia não tava xingando o Lula de tudo que é jeito?”, completou.

“O Ciro não implica só com o Lula, ele implica com o PT. Ele acha que pode ocupar um vácuo político que não vai ocupar nunca, porque o Ciro nunca foi de esquerda. Quem mora no Ceará sabe disso. Ele passa essa ideia para quem vê de fora com aqueles arroubos, frases prontas, doido para fazer manchete. Pode ser progressista e olhe lá. Quando foi governador do estado não foi grande coisa não. Está muito mais pra uma centro direita”, declarou.

Para a deputada, o ex-ministro “não sabe o que é um coletivo” e destacou as passagens dele por oito partidos “de todos os espectros”. “Eles não tem noção de coletivo. Nem sempre as coisas são do jeito que você quer, muitas cabeças pensam melhor do que uma. Acho que ele tem uma ‘inveja’ da formação coletiva do PT. A gente briga internamente, mas quando sai unificado não tem pra ninguém. O PT não é um partido institucional, é um movimento social”, avaliou.

“Até dentro do PT tinha gente que tinha ilusão com o Ciro. Mas ele ofendeu tanto os petistas e o presidente Lula que hoje ele é persona-non-grata na direção nacional. E se depender de mim continuará sendo”, finalizou.

Oposição

Luizianne comentava sobre às críticas que faz ao governo do estado sobre a questão da segurança pública, mas negou que fará oposição a Santana caso assuma o Paço Municipal. “Ele sabe as críticas que eu tenho à política de segurança pública, eu não nego, mas não vou fazer oposição ao estado porque já vou ter muita gente a me opor. Inclusive o governo Federal, que vai tentar sufocar de todas as formas os governos exitosos do PT no Nordeste”, declarou.

Assista, a partir do minuto 30:

Luizianne: investir no transporte público também é uma forma de distribuir renda

capa_mobilidadeurbanaA deputada federal Luizianne Lins participou, recentemente, de um debate na TV PT Brasil sobre mobilidade urbana. Ela destacou que o tema sempre teve prioridade em suas gestões como prefeita de Fortaleza (2005-2012), principalmente no que diz respeito ao transporte público coletivo. “investir no transporte público também representa de forma objetiva é fazer distribuição de renda”, salienta.

Luizianne observou que o conceito de mobilidade urbana é muito mais profundo do que transporte público. “É o direito de ir e vir na cidade, principalmente nas metrópoles, que têm distâncias muito longas, engarrafamentos”. Então, para ela, conectar o sistema de transporte público com o sistema de ciclovias, recuperar as calçadas, e fazer isso tudo em sintonia com as distâncias, é um conceito de mobilidade urbana razoável, com priorização do direito à cidade.

A deputada e pré-candidata do PT à Prefeitura de Fortaleza salientou ainda que Fortaleza é a quarta capital brasileira em população e uma das metrópoles de maior desigualdade social. “Os poucos ricos são muito, muito ricos. É uma base social na pirâmide muito grande. Portanto, aumentar a inclusão dos mais pobres no transporte público é fundamental”.

Foram várias iniciativas, segundo a ex-prefeita, que convergiram para facilitar a mobilidade urbana em Fortaleza e garantir o direito à cidade. A primeira delas foi o congelamento da tarifa de ônibus por 4 anos 4 meses e 25 dias. “Lembrando que entre 1994 e 2004, antes do nosso governo, a tarifa quadriplicou, de R$ 0,40 para R$ 1,60, quando assumimos”.

Durante oito anos, houve apenas dois aumentos na tarifa de ônibus. Um em 2005, de R$ 1,60 para R$ 1,80; e depois para R$ 2, aumento de 25%, percentual bem inferior, menos da metade da inflação em oito anos, 55%. “Isso não foi fácil. Quando mantivemos o congelamento, tínhamos a menor tarifa de ônibus das capitais em sistema integrado”, acrescentou.

Para a deputada, essa política representou, na prática, uma transferência indireta de renda para os usuários de transporte público, a maioria trabalhadores e trabalhadoras, e consequentemente suas famílias.

Sua gestão também criou a Tarifa Social. O valor que era de R$ 1,60 ficava aos domingos em R$ 1. Fortaleza também era a única capital onde a meia era ilimitada para estudantes das redes pública e privada, que pagavam aos domingos R$ 0,50. Ao final da gestão, a Tarifa Social já atendia mais R$ 630 mil aos domingos, aumentando em 80% o número de usuários nesse dia.

Luizianne também implantou a gratuidade das pessoas com deficiência no transporte público, distribuindo mais de 12 mil cartões que davam direito a viagem gratuita, incluindo o acompanhante em 72% dos casos.

Havia também a Hora Social, para pessoas que tinham horários mais flexíveis para usar o transporte. A pessoa pagava mais barato de segunda a sábado das 9h às 10h e das 15h às 16h. O objetivo era incentivar viagens fora do horário de pico.

“Aumentamos a demanda de passageiros em 20% em Fortaleza. Ou seja, era uma parte da população que estava alijada do transporte público, sem mobilidade urbana, porque não tinha condição de pagar”, ressaltou  a deputado, destacando ainda a criação do sistema de integração temporal, com possibilidade de se pegar mais de um ônibus no espaço de duas horas sem passar pelos terminais de integração.

A frota foi renovada com mais de 1.200 veículos novos, possibilitando mais conforto, redução da poluição e equipamentos de acessibilidade. Outro destaque é que Fortaleza tinha apenas oito ônibus, em 2004, para cadeirantes. No fim de sua gestão, havia 739 ônibus para cadeirantes e 97 vans.

Luizianne enfatizou que já está fazendo as contas para que, em um possível nova gestão do PT em Fortaleza sob seu comando, seja possível começar o processo de aplicação de tarifa zero. “Queremos fazer o que há de mais moderno e melhor na mobilidade urbana, precisamos avançar”.

Assista o debate:

Luizianne realiza encontro sobre educação para seu Programa de Governo Popular e Participativo

A deputada federal e pré-candidata pelo Partido dos Trabalhadores (PT) à Prefeitura de margarida salomaoFortaleza, Luizianne Lins, realizou nesta quinta-feira (13/08) o segundo Encontro do Programa de Governo Popular e Participativo para a capital cearense.

Com o tema Educação, a atividade virtual contou com a participação da deputada federal pelo PT/MG e ex-reitora da Universidade Federal de Juiz de Fora, Margarida Salomão, e do deputado estadual e ex-secretário de Educação na gestão de Luizianne Lins na Prefeitura de Fortaleza, Elmano Freitas. O vereador Guilherme Sampaio mediou o debate.

Luizianne realizou um resgate histórico das suas duas gestões à frente da Prefeitura de Fortaleza, lembrando de diversos avanços e conquistas, como a estruturação da educação infantil, com a reabertura das creches que estavam fechadas; escola em tempo integral para 10 mil crianças; valorização dos profissionais do magistério com incorporação dos aditivos; concurso público; merenda de qualidade; transporte escolar e fardamento completo. “Entre 2005 e 2011, chegamos a 900 salas de aula e 287 escolas reformadas, além de 89 novas escolas construídas e 68 novas bibliotecas. Ou seja, criamos uma escola a cada mês de governo”, lembrou.

O ex-secretário de Educação e deputado estadual, Elmano Freitas, lamentou o desmonte de algumas ações de educação na cidade de Fortaleza pela atual gestão. “Nós sabemos como o transporte é inclusivo, portanto não ter um transporte escolar de qualidade na nossa rede é inaceitável”, disse.

Elmano apontou como desafios, hoje, para a gestão de educação, a construção de mais creches patrimoniais. “Atualmente, 40% da rede infantil de fortaleza é terceirizada”, disse. Valorização do piso de professores, capacitação profissional e inclusão digital também foram desafios citados pelo deputado.

Já a deputada federal Margarida Salomão reforçou a necessidade de fortalecer a educação infantil com a abertura de creches. “Nós não temos metade das crianças de zero a três anos em creche no Brasil. O aproveitamento nas universidades começa com o aproveitamento das crianças nas creches e escolinhas”, explicou.

Durante o encontro, houve ainda a participação de representantes da área da educação em Fortaleza. A atividade foi transmitida pelas redes sociais da deputada @luiziannelinsPT: Youtube, Facebook e Instagram.

Sugestões para o programa de governo podem ser feitas pelos cidadãos e cidadãs de Fortaleza pelo formulário disponível nas redes sociais.

Luizianne atribui elevado número de casos e mortes pela Covid-19 à desestruturação da assistência básica em Fortaleza

A deputada federal Luizianne Lins (PT/CE) participou nessa sexta-feira (14/8) de entrevista à rádio O POVO CBN para falar sobre a pré-candidatura à Prefeitura de Fortaleza.luizianne camara

Durante a conversa, Luizianne fez uma avaliação da pandemia em Fortaleza e citou a desestruturação da assistência básica como fator que explica o elevado número de casos e mortes. “A assistência social, a saúde básica e a mental foram desmontadas e as consequências foram esses números. Até a pandemia passar, você paga pelo que deixou de fazer”, avaliou.

Provocada a comparar a sua gestão à frente da Prefeitura de Fortaleza com a do atual prefeito, Luizianne lembrou que não existe nenhuma obra executada pela administração, hoje, que não tenha iniciado quando ainda era prefeita. “Governamos a cidade muito melhor. Fortaleza era uma antes do nosso governo e outra depois. Hoje, existe claramente um governo para a área nobre e outro para áreas periféricas”, reforçou.

A deputada também lembrou as últimas denúncias envolvendo a administração de Fortaleza em suposta compra de apoio político. Um áudio, vazado no dia 23/7, mostra diálogo entre parlamentares sobre oferta de dinheiro em troca de apoio político à base do prefeito Roberto Cláudio (PDT). Durante a conversa, é mencionado o valor entre R$ 150 mil e R$ 250 mil para efetivação do acordo. Sobre o assunto, a deputado informou que irá acionar o Ministério Público Eleitoral para apuração da denúncia.

Luizianne defende trabalho remoto para gestantes durante pandemia

A deputada federal Luizianne Lins (PT/CE) assinou a coautoria do PL 3932/2020, queluizianne 8 ago plenario determina o afastamento de mulheres gestantes do trabalho presencial enquanto durar a pandemia. O objetivo é proteger essas mulheres de eventuais complicações em decorrência da Covid-19.

Conforme justificativa da proposta, 77% das mortes de mulheres gestantes ou em puerpério durante a pandemia, no mundo, são de brasileiras. Entre 1 de janeiro e 18 de junho de 2020, foram contabilizadas 124 mortes de mulheres grávidas ou puérperas no país. Nesse mesmo período, o mundo todo registrou 160 mortes maternas por Covid-19. Os dados demonstram que, a cada dez mortes maternas por Covid-19 no mundo, 8 ocorrem no Brasil.

“A situação é grave porque sabemos da difícil realidade do pré-natal em muitas cidades brasileiras. Os casos de Covid superlotam a rede hospitalar, portanto, caso uma mulher grávida necessite de um atendimento emergencial em virtude da doença poderá enfrentar dificuldades. O isolamento social rígido para mulheres nessas condições é uma forma de salvar vidas”, reforçou a deputada.

O PL conta com o apoio da bancada feminina da Câmara dos Deputados. Acompanhe: https://bit.ly/3aoj6tw